Armas e elmos dos reis expostos no mosteiro

Uma exposição intitulada "A Capela do Fundador - Memória Revisitada", que inclui uma espada e elmos originais de reis, é inaugurada na terça-feira, 14, no Mosteiro da Batalha, no âmbito das cerimónias do dia do município.

Uma espada de D. João I e os elmos de D. João II e do príncipe D. Afonso (também atribuídos a D. João I e a D. João II, respetivamente), ficam expostas durante um ano, no lugar onde permaneceram até cerca de 1810.

Trata-se de três peças originais de grande valor histórico, patrimonial e memorialista, muito bem preservadas.

Para além destes objetos originais, foram feitas reproduções da espada de D. João II (a partir dos desenhos do Domingos Sequeira - C. 1800) e do seu escudo de torneio.

“Este é um dos principais projetos expositivos do corrente ano, que permitirá o 'retorno' de alguns objetos que até 1810 estavam patentes na Capela do Fundador, à vista de todos. São objetos que têm um significado quase diria “transcendente”, porque foram utilizados pelos reis fundadores”, destaca Joaquim Ruivo, diretor do Mosteiro da Batalha.

A exposição resulta de uma parceria entre o Museu Militar de Lisboa/DHCM e o Mosteiro da Batalha/DGPC, com o patrocínio da Câmara da Batalha, Seguros Lusitânia, Caixa de Crédito Agrícola da Batalha, Golpifer e Vidros Cerejo.


NESTA SECÇÃO

Destino de alguns valores do Mosteiro de Santa Maria da Vitória

Universalidade de Portugal Não sei se Portugal pode cumprir outra missão, servir ou...

Exposição liga Batalha aos principados romenos

Está patente no mosteiro uma exposição intitulada “Os principados romenos no tempo da constr...

Infante D. Henrique, Imperador de novos mares e de novos céus

Infante D. Henrique   “Talant de bien faire”   Tive a vocação do bem.   ...