Célia Ferreira

A.M.HO. A.Minha.Horta

Amor-de-hortelão tem muito para oferecer

Este mês de abril parece estar a fazer jus ao ditado popular: “abril águas mil”. Já assim esteve março e parece estar para continuar. A verdade é que a chuva é cá precisa, dava jeito era que tivesse sido mais espaçada no tempo, pois tenho os quintais alagados, dado que são de terra pouco permeável, o que lhes confere a particularidade de reterem mais os nutrientes, mas quando têm esta abundância de água, não a deixa escoar. Assim, este ano, não adiantei sementeiras e ainda bem que o não fiz, pois teria as plântulas já boas a colocar na terra, mas não posso.

Gosto sempre de aprender coisas novas e tive a oportunidade de ir ao evento “Flores no Prato” que aconteceu em Leiria, com a Fernanda Botelho. Nele fiquei a conhecer mais variedades de flores comestíveis. Os nossos pratos podem ser enriquecidos com as flores dos nossos quintais/jardins, daí ser fácil ter um jardim comestível - na próxima publicação partilho convosco.

Neste evento, fiquei ainda a conhecer melhor uma planta que no meu quintal aparece em abundância por esta altura, e que tenho desvalorizado, mas parece que tem muita coisa boa para nos oferecer, que é o agarra-saias, ou amor-de-hortelão, nome cientifico: Galium aparine L. Segundo esta especialista, a planta tem propriedades medicinais muito interessantes. Usa-se toda a planta, que é um excelente diurético, podendo eliminar pedras no aparelho urinário e tratar infeções do mesmo. É um estimulante do sistema linfático, aliviando problemas de glândulas inchadas. Útil no tratamento de problemas de pele como seborreia, eczema e psoríase - para tal deve lavar-se com uma decocção feita fervendo a planta por 15 minutos, e pode usar-se para aclarar a pele ou combater a caspa. De preferência usar a decocção na hora, ou guardar no frigorífico por cinco dias.

Com os seus frutos faz-se algo semelhante ao café e a raiz moída pode substituir a chicória.

Como tenho tanto, vou experimentar estas opções.

Hortícolas para semear e/ou plantar ao ar livre: abóboras, aipo, alfaces, alho francês, batatas, beringelas, beterrabas, broculos, cebolas variedades tardias, cenouras, coentros, couves-flôr; couves-repolho, couve-rábano, espinafres, ervilhas, malaguetas, nabiças, nabos, nepinos, pimentos, salsa, tomates, abanetes, rúcula, calêndulas.

Jardim, semear: amores perfeitos, cravos, crisântemos, dálias, bocas de lobo, capuchinhas (estas são excelentes para circundar a nossa horta), agrião de jardim, calêndulas (por cá somos fãs das suas pétalas nas saladas).

Arbustos e árvores de fruto para plantar: amoreiras, arandos, framboesas, groselheiras, mirtilos.

Na horta cultivamos alimentos e sentimentos!

Boas colheitas.


NESTA SECÇÃO

“A Quaresma do deserto não é negação da autoestima”

(…) A nossa Quaresma recorda, não apenas a história de Israel, mas também a história pessoal...

Nª Srª das Candeias e a tradição dos fritos na Freguesia de São Mamede

Diz a tradição popular portuguesa que a 2 de fevereiro, dia de Nossa Senhora das Candeias, s...

Duarte Costa, um mestre da guitarra quase esquecido

Acontece que no domínio das artes, seja na literatura, na pintura, na escultura ou na música...