Célia Ferreira

AMHO A Minha Horta

Alimentos que colocamos na mesa são bênção da natureza

O mês de julho tem-nos presenteado com um calor muito intenso, pelo menos nos últimos dias. No nosso quintal algumas plantas ressentem-se e acabam a queimar as suas folhas, pelo que ao observar este efeito deveremos ter o cuidado de as proteger, para que se mantenham saudáveis.

Julho começa a ser o mês da abundância, as frutas já aparecem com toda a frescura das primeiras colheitas e é sempre uma bênção comer uma fruta pela primeira vez no ano. Sempre me lembro de em casa dos meus pais referirmos isso, quando colhíamos o primeiro pepino, o primeiro tomate, as primeiras ameixas, etc.

Continuo a considerar que são uma bênção da natureza, os alimentos que colocamos na mesa. Pequenos prazeres que nos levam a agradecer, e como é bom agradecer.

A horta permite-nos aprender a semear, cuidar e colher. Entendendo os seus ciclos mais facilmente respeitamos todos esses processos e percebemos que esses ciclos também fazem parte da natureza humana. Por vezes temos muita pressa em querer ver resultados, mas na verdade tudo tem o seu tempo para acontecer - também podemos ajudar a fazer acontecer, mas com respeito, pelo tempo que leva a alcançar os objetivos.

Por aqui cultivamos de acordo com o tempo que conseguimos disponibilizar, nuns momentos cultivamos mais que noutros, não fazemos disso uma obrigação.

Dica do mês: para afastar a mosca branca das couves, semeie capuchinhas em redor, que também podem ser semeadas junto às macieiras, como preventivo do cancro da macieira. Caso a doença já se manifeste, deverá ser realizada uma infusão com 1 kg de folhas de capuchinha em 5 litros de água, este preparado deve ser aplicado nas zonas afetadas da árvore, em caso de cancro da macieira, e pode ainda ser utilizado como preventivo do míldio dos tomateiros, aplica-se diluído em 30%).

Para a formiga, pode colocar amido de milho no local onde passam, também controla o seu aparecimento. O predador natural dos caracóis é a larva dos pirilampos, que costumam proliferar mais em zonas de erva selvagem. Cá por casa encontramos muitos, é um deleite para os sentidos à noite observá-los.

Mas lembre-se que cada animal tem a sua função na natureza, por isso evite eliminar tudo o que mexe, pois pode provocar desequilíbrio do ecossistema.

Se soubermos observar e aprender com a natureza, teremos muito a aprender.

Hortícolas para semear e/ou plantar ao ar livre: acelgas, agriões, alfaces, acelgas, aipo, alho francês, batata doce, beterrabas, beldroegas, broculos, cenouras, coentros, chicórias, couves-flôr, couves- repolho, couve-rábano, courgetes, endivias, espinafres, feijões diversos, malaguetas, milho, nabos, pimentos, physalis, salsa, tomates, rabanetes, rúcula.

Jardim, semear e/ou plantar: begónias, calêndulas, capuchinhas, cravos túnicos, gipsofilas, goivos, miosótis, prímulas.

Na horta cultivamos alimentos e sentimentos!

Boas colheitas.


NESTA SECÇÃO

Há mais vida para além do mosteiro…

Está adaptação da conhecida citação atribuída ao ex-presidente Jorge Sampaio – “há mais vida...

Transferência de competências do poder central para o local

Por princípio e por experiência, sou favorável a todas as diligências que permitam prestar s...

Sem medos

Caro/a (s) Munícipes da Batalha, permitam-me que comece este artigo citando aqui a grande mu...