Águas do Centro apostam na telegestão para aumentar a eficiência da gestão

A Águas do Centro Litoral (AdCL) anunciou no inicio de janeiro que reformulou o seu sistema de telegestão do polo Mondego, “tendo com isso assegurado maior disponibilidade, eficiência e segurança no processo de gestão operacional remota das suas instalações”.

A empresa concluiu no final de 2020 o projeto de reconversão dos anteriores sistemas de telegestão autónomos de abastecimento de água da Boavista/Ronqueira e de saneamento de águas residuais do Mondego numa única plataforma tecnológica.

Mais de dez anos após a respetiva implementação, estes sistemas de telegestão foram agora reconvertidos no atual sistema de telegestão de abastecimento de água e saneamento do polo Mondego (que passa a abranger as infraestruturas dos municípios de Ansião, Arganil, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Góis, Leiria, Lousã, Mealhada, Miranda do Corvo, Penacova, Penela, Vila Nova de Poiares), tendo sido redesenhada a sua arquitetura e atualizadas as suas componentes de hardware e software, tornando-o assim mais eficaz e mais seguro.

A AdCLé uma empresa do sector da água, que constrói e gere infraestruturas de captação, tratamento e transporte de água para abastecimento público, assim como projeta, executa e explora infraestruturas de receção e de tratamento de águas residuais em 30 municípios.

A empresa serve os municípios de Águeda, Albergaria-a-Velha, Ansião, Arganil, Aveiro, Batalha, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Espinho, Estarreja, Góis, Ílhavo, Leiria, Lousã, Marinha Grande, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ourém, Ovar, Penacova, Penela, Porto de Mós, Santa Maria da Feira, Soure, Vagos e Vila Nova de Poiares.

Os sistemas de telegestão da AdCL permitem monitorizar o estado de condição e de sensorização das instalações, assim como comandar, por via remota, os equipamentos e sistemas hidráulicos em “alta” geridos pela AdCL, tanto a nível de abastecimento de água como de tratamento de águas residuais, centralizando todos processos operacionais e permitindo o controlo em tempo real do sistema, com vista a uma pronta atuação perante as ocorrências diárias.

Atualmente, estas plataformas já centralizam a operação de mais de 90% das instalações de abastecimento de água e saneamento da AdCL, contribuindo dessa forma para a gestão sustentável do ciclo da água (desde a captação, tratamento, transporte e distribuição em “alta”, até à recolha e rejeição do efluente).

 


NESTA SECÇÃO

Uma câmara mais perto das pessoas

  A governação de uma câmara municipal é uma função nobre, que deve ter as pessoas em pri...

Garantimos que a Batalha não se resumirá ao mosteiro

Apresento a minha candidatura pelos munícipes da Batalha. Estarei disponível para ouvir os p...

A fundamental questão: por que nos candidatamos à presidência da Câmara da Batalha?

  A primeira análise que se deve fazer a uma candidatura política é a motivação dessa can...